Detroit Rock City

Aqui eu tenho uma pergunta que foi difícil responder por muito tempo. Aquelas dúvidas filosóficas que só depois de muito meditar chegamos a uma conclusão: qual foi o teen movie mais realista os tempos?

Temos uma briga boa, pois na categoria contam alguns clássicos absolutos, como American Pie, 10 Coisas que Eu Odeio em Você, ainda filmes de outras gerações, como Curtindo a Vida Adoidado e Clube dos Cinco, ou até Porky’s, mais antigo ainda. A lista é grande e o que não falta é opção, mas qual seria o mais realista? Qual representaria melhor um adolescente típico, aquele que eu e você fomos um dia? E a resposta me vem muito clara à mente: nenhum dos citados acima.

Sim, são ótimos filmes teen, todos devem vê-los, mas não são nada realistas. A maioria deles peca por um esteriótipo caricato, aonde o adolescente representa uma “classe” específica completamente satirizada, como um jogador, um marginal, um galanteador, qualquer coisa, mas que de fato representa 1% dos jovens mundiais. Quando alguém representava categoricamente algum “estilo urbano”, como os caras Clube dos Cinco? É bem mais provável que todos nós representemos, conforme a nossa situação, todos os estilos ao mesmo tempo. Perdedor, marginal, artista, jogador, todos somos.

Não só isso, a maioria destes filmes faz colocações de situações completamente absurdas e impossíveis de acontecer na realidade. Quando você teve uma colega gringa seminua que deu atenção para você, como em American Pie? Quando você cabulou uma aula e se deu bem, como Curtindo a Vida Adoidado? Quando você presenciou alguma festa homérica do estilo desses filmes? A resposta é clara – um não bem grande – para todas as dúvidas, porque você nunca foi um adolescente de filme, visto que eles são alegóricos, personagens escrachados.

Mas então, qual filme representa realisticamente um adolescente? A única resposta que me vem a cabeça é Detroit Rock City, o nome do post. Analisemos a situações desde o princípio e, logo dá para perceber que minha afirmação está completamente correta.

Temos os 4 personagens, uma mistura de qualquer adolescente classe média típico, que não vai bem na escola, se veste normalmente, tem seus amigos, uma banda de garagem e vive às sombras dos pais, que quer queira ou não, ainda manda neles. Típicos em demasia e muito bem colocados no contexto do filme, não vão fazer nada mirabolante, não pretendem ter uma ideia genial, nada. Só querem ir ao show, enquanto os pais acham tudo uma grande besteira. Tudo é estritamente plausível.

A começar pelo figurino, sem nada excessivamente marcante, os personagens se vestem como qualquer adolescente que “passa em branco” no mundo, com roupas normais, jeans e camiseta velhos, camiseta de banda, tudo.

O enredo e a situação também falam por si, pois não há nenhum esforço de criação do diretor/roteirista em colocar os personagens sobre um olhar super genial. Não há festas mirabolantes, não há planos para atravessar o país, nada, eles só querem ir ao show. E se comportam como qualquer adolescente, sem nenhum plano muito bem elaborado, fazendo besteira atrás de besteira. No geral, a situação toda se desenrola por uma continuidade de planos mal bolados e fracassados, muito bem colocados sobre um contexto extremamente realista.

Temos ainda a parte “subjetiva”, a visão sobre os personagens através de suas ações. Nenhum deles é um grande “destaque” no mundo, como adolescentes normais, mas tem seus momentos de vencedor e de perdedor. Tudo se empossa sobre a própria momentaneidade, como bom adolescente, que não organiza nada de nada. É tudo ao acaso.

A competência da equipe sobre a obra tem outros pontos positivos, como o fato de ter escolhido adolescentes REAIS para os papéis, não adultos travestidos de crianças. Temos ainda uma fotografia competente, não genial, mas que cumpre o seu papel dentro da obra. E claro, temos uma trilha sonora épica, passando do POP ao Rock, representando realmente o que se escutava no período que o filme se passa, inserindo ainda mais todo o projeto e fechando com chave de ouro.

É, sem dúvidas, um filme subestimado. Quando pensamos em filmes teen, o nosso amigo aí de cima fica esquecido no limbo, passando na memória de alguns poucos e bons que se lembram da obra. Pretendi justamente não me estender muito sobre o comentário por causa disso. A obra fala por si. Se a vida imita a arte, este filme mostra exatamente isso. Dá pra representar os adolescentes sem faze-los passar por personagens fictícios.

Bom Domingo e até a próxima sessão!

Fontes que contribuíram para o post: imdb.com, youtube.com, cinemarkwood.blogspot.com, stevethemovieman.proboards.com, puropop.com.br, nyrock.com, cinemaismm.blogspot.com, www.wikipedia.org

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s