Smurfs

“La la la la la la, sing a happy song..”. Nostalgia. Sensação de estar em um túnel do tempo. Foi exatamente por causa dessa canção pouco grudenta, que senti isso quando comecei a assistir a Smurfs. Voltei a ter 3 ou 4 anos, quando assitia diversos desenhos, entre eles o dos pequenos homenzinhos azuis que viviam em casinhas de cogumelos!

E que coisa boa!

Criados pelo ilustrador belga Peyo (Pierre Culliford), apareceram pela primeira vez em 1958 na história de Johan et Pirlouit, um cavaleiro da Idade Média (Johan) e seu escudeiro anão. Na história ‘A Flauta de 6 Buracos’, os protagonistas descobrem por acaso a existência de seres azuis que vivem no meio da floresta. Em 1959, Os Smurfs passam a ter sua própria série de quadrinhos, fazendo mais sucesso que Johan et Pirlouit.

Depois dessa breve explicação, vamos ao filme, que é o motivo todo de estarmos aqui! O responsável por levar para as telas esses personagens tão queridos foi o diretor Raja Gosnell, que dirigiu Nunca Fui Beijada e Scooby Doo. E ele também é o responsável pela sequencia do filme, que está prevista para o ano que vem.

Mas e o filme, é bom?

Honestamente, eu gostei. Não estava esperando muito dele, para ser sincera, e acredito que tenha gostado mais pelo fato de me trazer boas recordações do que pelo filme, em seu total.

Mas vamos ser mais específicos: é divertido! Sim, é um filme divertido, leve e descompromissado. Para quem já conhece os personagens é bem incrível vê-los ‘contracenando’ com os atores reais e se sentir criança novamente. A história ficou bem elaborada até, e rendeu e se desenvolveu bem no decorrer do filme.

Smurfs – O Filme, começa com todos os smurfs em sua pequena aldeia vivendo em paz, e se preparando para a Lua Azul. Porém, Gargamel descobre a localização deles e invade a aldeia, obrigando os Smurfs a saírem de lá. Mas Smurf Desastrado acaba indo para o lugar errado, obrigando alguns a irem salva-lo. Tudo dá errado, e os Smurfs, liderados pelo Papai Smurf, Gargamel e Cruel, acabam atravessando um portal mágico, indo parar em Nova York, no nosso mundo. Além de escapar do Gargamel eles precisam voltar para seu mundo, e é ai que entra o casal Winslow.

Bem tenso, não?

Vamos as atuações, dessa forma eu não conto o resto do filme! Adorei ver Tim Gunn (do reality Project Runaway) presente no filme (muito mais por ele ser quem é, do que por qualquer outro motivo), mas seu papel não precisava de fato existir. Sofia Vergara (Modern Family), Neil Patrick Harris (How I Meet Your Mother) e Jayma Mays (Glee) tem papéis pequenos, sendo que a primeira poderia nem estar no filme. Já Neil e Jayma só se tornam ‘importantes’ na história por serem quem acolhe os Smurfs no momento em que estão perdidos.

Apesar de ter ficado bem exagerado, gostei muito de Hank Azaria (de ‘Amor e Outras Drogas’ e ‘Quero Ficar com Polly’) , interpretando o malvado, e um tanto desastrado, Gargamel. Achei que ficou bem parecido com o do desenho, dadas as devidas restrições. Não gostei muito do Cruel, que, para ficar bem irreal como na série animada, ganhou toques de efeitos especiais, fazendo caras e bocas. Acabou muito forçado, mesmo.

Com cenas divertidíssimas, tal como a aventura vivida pelos personagens dentro de uma loja de brinquedos, e o momento em que Ranzinza, Gênio e Selvagem se divertem tocando guitarra. Outra cena que ficou muito bacana foi a conversa, no telhado, entre Papai Smurf e o personagem de Neil Harris.

Achei que a fotografia do filme foi muito bem trabalhada, principalmente pelo fato de os ‘atores’ principais não estarem presentes no momento da gravação, e por serem tão pequenos, o que necessita sempre de atenção maior aos detalhes. Gostei também da dedicação do diretor de arte, ao recriar a aldeia dos Smurfs no incio de filme: ficou exatamente como no desenho, super detalhada. Acho que se fossem reais seria exatamente daquele jeito. Além disso o movimento feito pela câmera valoriza esses detalhes, e já apresenta os personagens, enquanto Desastrado vai causando o caos na aldeia.

Em Smurfs, vemos que a união faz a força, e que basta querer e se esforçar para mudar as coisas e o mundo. E olha que eles só medem 3 maçãs de altura!

Deixo para vocês os trailers, posters e imagens do filme!

Teaser Trailer 1

Trailer 2

Trailer 3

Wallpapers do filme:

Para quem tem filhos, ou não, e quer se distrair, é uma boa pedida! Como disse antes, totalmente se compromisso. Não é o melhor filme do mundo, nem o mais elaborado (até por que sua intenção não é essa), mas é divertido e encantador. Vou assistir ao 2, não no cinema, mas quando passar na TV, bem como fiz com o primeiro!

Espero que tenham gostado! Para quem for assistir, bom filme! Até a próxima sessão!

 Links que contribuíram para esse post: http://www.cinepop.com.br/http://www.imdb.com/http://www.youtube.com/http://pt.wikipedia.org/wiki/Les_Schtroumpfs

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s