O reino dos gatos

QualitŽ: deuxime gŽnŽration.   Titre: Le Royaume Des Chats.

Semana passada, acabei vendo a animação “O Reino dos Gatos”. Para quem não conhece, a animação foi feita pelo estúdio Ghibli, o mesmo do premiado filme A Viagem de Chiriro.

Na trama de o Reino dos Gatos, vemos a história de Haru, uma estudante que salva a vida de um gato. Logo após o salvamento, Haru acaba descobrindo que aquele gato é um membro da realeza do Reino dos Gatos e acaba convidando a humana a conhecer o seu reino. Reino, este, com uma relação conturbada entre os nobres felinos e felinos plebeus, que desconfiam da índole do rei.

Como as outras produções do estúdio, tal qual outros animes japoneses, mesmo com uma história teoricamente relaxante, de um mundo repleto de gatos e da delicadeza felina, ainda assim, o filme não é o que parece. Com um começo tranquilo e um enredo aparentemente simples, em poucos minutos, percebemos que logo a aventura se desenrola em um grande universo de ação e de muitos elementos de pura intensidade.

Reino-dos-gatos1

A simplicidade da proposta fecha bem com a introdução dos animes e os seus clichês clássicos; o exagero gráfico de cores e de movimentos, a ação a cada momento da trama, acabam contrastando de maneira muito interessante no mundo “lento” de Haru, com a realidade bizarramente “rápida” das ações que ocorrem tanto no Reino dos Gatos, assim como a neutralidade do mundo dos opositores felinos. Vimos uma mudança rápida de estilos que converge na mesma realidade dos diferentes personagens, seguindo o roteiro da animação de uma maneira muito bem encaixada, nos levando a se inteirar – e  também se entreter – com o universo novo e relativamente simples do Reino Felino, em diferença a modernidade conturbada da metrópole japonesa.

Um dos pontos mais altos do filme se dá pelos próprios personagens. Tema central do filme, as relações entre diferentes criaturas (vários tipos de gatos, pássaros e humanos), praticamente todos os envolvidos na animação são cativantes de alguma forma. Deste Haru, personagem principal da trama, com seu jeito meio infantil e atrapalhado, até os próprios gatos, como o Rei com hábitos peculiares e Muta, o gato obeso e resmungão opositor ao reinado. A relação de todos os envolvidos na trama ajuda com o roteiro intenso do anime, criando um ambiente de muita ação, mas ao mesmo tempo de um certo ar cômico, com a mistura de diferentes personagens com diferentes tipos de humor e personalidade. Mesmo os “inimigos” do filme acabam, de alguma maneira, interagindo de uma forma simpática ao telespectador que, durante toda obra, acaba se identificando com todos os envolvidos.

Como um bom filme de ação, outro grande ponto alto do filme são os sons; tudo o que acontece no filme é perfeitamente bem recriado por trilhas ou efeitos sonoros, assim como a dublagem que se encaixa muito bem com os personagens e ajuda a definir ainda melhor a personalidade de cada um.

QualitŽ: deuxime gŽnŽration.   Titre: Le Royaume Des Chats.

Uma animação leve – mas recheada de ação – e com um resultado cativante; Reino dos Gatos não chega a ser a obra-prima cultuada que foi Viagem de Chiriro, mas é um bom filme, interessante de ser visto. Uma boa proposta para se assistir e se desprender de animações o filmes mais densos, a leveza do projeto de Reino dos Gatos garante o seu lugar ao sol como uma grande obra.

Boa Tarde e até a próxima sessão!

Fontes que contribuíram para o post: google.com, wikipedia.org, imdb.com

Anúncios

Um comentário sobre “O reino dos gatos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s