Argo

Honestamente, acho que o Oscar de melhor filme foi merecido. Super merecido. Não sou a maior fã do Ben Affleck, mas ele como diretor surpreende cada vez mais. Argo é baseado em fatos reais, narrados no livro Master of Disguise: My Secret Life in the CIA de Antonio J. Mendez e no artigo How the CIA Used a Fake Sci-Fi Flick to Rescue Americans From Tehran de Joshuah Bearman, para a revista Wired. O filme nos leva para 1979, para um Irã conturbado revoltado com os EUA, pelo fato dos últimos darem abrigo ao ex Xá,  Mohammad Reza Pahlavi. A história começa com a embaixada americana … Continuar lendo Argo

Os Miseráveis

Eu não vi os outros filmes que concorreram ao Oscar junto com Os Miseráveis, mas eu dúvido que sejam um terço do que este é! Simplesmente emocionante e incrível!

Poster-Les-Miserablés1

Não tem outra expressão melhor para descrever o que eu senti ao assistir o filme do que “de arrepiar”! Lindíssimo!

Continuar lendo “Os Miseráveis”

Compramos um Zoológico

Fazia um bom tempo que eu estava querendo assistir a esse filme, e domingo eu finalmente consegui. Dessa vez a expectativa foi excedida, e o filme é bem melhor do que eu esperava e imaginava.

we-bought-a-zoo

Dirigido por Cameron Crowe, mesmo de Vanilla Sky (2001) e Quase Famosos (2000), Compramos um Zoológico (2011) é um filme delicioso. Baseado em uma história real (o que torna tudo ainda mais incrível ainda), contada primeiramente no livro de Benjamin Mee, o filme conta a história de um pai que acabou de ficar viúvo  e precisa lidar com isso e superar o acontecimento junto com seus filhos.

Continuar lendo “Compramos um Zoológico”

O Lorax – Em Busca da Trúfula Perdida

To bem dos desenhos nesta ultima semana. Acho que esse clima de final de ano acaba deixando a gente mais cansado e daí acabo escolhendo filmes mais leves, descontraídos e sem muito compromisso!

E O Lorax é exatamente isso. Além de ser extremamente educativo e, querendo ou não, um alerta muito simples mas realista! Mas, vamos por partes.

Dr-Seuss-The-Lorax-Movie Continuar lendo “O Lorax – Em Busca da Trúfula Perdida”

O Segredo de Kells

Quando decidi ver O Segredo de Kells, não sabia bem sobre o que era e o que o era abordado no filme. Na verdade escolhi ver por que o pôster me chamou atenção: achei o desenho diferente e fiquei curiosa.

o segredo de kells

Assisti ao filme no domingo e fiquei maravilhada com a beleza da animação. Depois de ver, fui pesquisar mais sobre ele, até para saciar ainda mais minha curiosidade, que só aumentou. Continuar lendo “O Segredo de Kells”

Precisamos Falar Sobre Kevin

Na verdade alguém deveria ter falado sobre ele, e com ele antes de tudo. Quando ainda era uma criança.

Eu não li o livro, por isso vou focar apenas no filme, já que não tenho condições de comparar as obras, e dizer se foi ou não bem adaptado. Mas já vou colocar aqui: gostei do filme. É chocante, frio e até mesmo perturbador. Continuar lendo “Precisamos Falar Sobre Kevin”

Você Vai Conhecer o Homem dos Seus Sonhos

Nas ultimas 3 semanas assisti a uns 10 filmes. Porém somente um ou outro me chamaram atenção, e é por isso que acabei não colocando nenhum deles aqui no blog. Mas como acredito que a opinião, independente de eu ter achado o filme bom ou ruim, merece e deve entrar aqui. E é esse o caso do filme que vou falar hoje.

Você Vai Conhecer o Homem dos Seus Sonhos. Ou não. O filme, de 2010, do diretor Woody Allen não me conquistou e nem me marcou, mas acho que seria injusto não coloca-lo aqui.

Continuar lendo “Você Vai Conhecer o Homem dos Seus Sonhos”

American Horror Story

Sim, o Próxima Sessão é um blog sobre cinema, mas de vez em quando vamos trazer coisas diferentes, como séries; pois elas são tão boas, que merecem destaque, e que poderiam ter sido filmes se duvidar.

Acabei de terminar a primeira temporada de American Horror Story. Não sou uma grande fã de histórias de terror e tal, na verdade quase sempre fecho os olhos em cenas apavorantes. Mas essa série me cativou de uma forma inacreditável. Queria que a temporada tivesse, sei lá, mil episódios, de tão envolvente que é a história. Continuar lendo “American Horror Story”

Os Vingadores

Eu queria muito ter visto Os Vingadores no cinema. Mas não deu. Acabei vendo em casa mesmo, e cheguei a conclusão de que foi um ótimo acontecimento não ter visto no cinema.

Não. Eu não achei o filme ruim. Eu só conclui, depois de ver, que não era tudo isso que estava prometendo. E isso não significa que ele é ruim, que não valha a pena ser visto, só significa que ver em casa é tão bom quanto no cinema (honestamente, o cinema anda tão caro que simplesmente qualquer filme vale mais a pena ver em casa – sério).

Continuar lendo “Os Vingadores”

Sem Limites

Imagine conseguir fazer coisas que você nunca imaginou, e que só viu nos filmes. Imagine conseguir acessar todas as suas lembranças, acessar todo o seu cérebro, e obter dele todo o seu potencial. Imagine isso.

Ia ser incrível, não? Pois é isso que a droga NZT faz. E, é claro, que ela é fictícia, e um dos ‘personagens’ principais do filme Sem Limites (Limitless – 2011).

Continuar lendo “Sem Limites”

Drops: Django Unchained

Eu sempre gostei dos filmes do Tarantino. Pelos menos, todos que vi até hoje. Mesmo que neles quase todos os personagens acabem morrendo no decorrer da história. E o que isso tem a ver com esse post? Alguns já devem estar sabendo, mas para os que não sabem o Próxima Sessão vêm atualizar vocês. Começo do ano que vem, estreia o novo filme do diretor de Pulp Fiction.

Continuar lendo “Drops: Django Unchained”

O Casamento de Rachel

O filme do diretor Jonathan Demme, o mesmo de Silêncio dos Inocentes (1991) e Filadélfia (1993), realmente me surpreendeu. Em quase todos os sentidos.

A verdade é que eu imaginava um filme completamente diferente, com personagens bem menos complexas; apenas um drama familiar, com brigas por motivos mais superficiais e afins. Mas antes de assistir resolvi ler a sinopse do filme, e a surpresa começou ai.

O filme gira em torno do casamento de Rachel (Rosemarie DeWitt) e seus preparativos, e da chegada de sua irmã Kym (Anne Hathaway) para o evento. Porém, Kym está chegando de uma clinica de habilitação, e sua chegada traz de volta sentimentos e conflitos que sempre existiram mas que todos evitavam.

Continuar lendo “O Casamento de Rachel”

As Aventuras de Tintin

Eu finalmente vi o filme do Tintin. E, finalmente encontrei tempo para postar aqui sobre ele. Eu estava com muitas expectativas para esse filme, quem leu os outros post’s sabe disso (quem não leu pode conferir aqui e aqui).

Mas acabei um pouco decepcionada. O filme é legal, divertido e bem fiel aos quadrinhos, mas eu esperava mais. Muito mais.

Talvez eu não estivesse no clima para ver a adaptação do Spielberg, ou eu talvez estivesse de fato esperando algo meio megalomaníaco, afinal era um dos filmes mais esperados do ano (pelo menos, pra mim era). E ai, que não foi tudo que eu esperava, mas isso não quer dizer que é ruim e não valha a pena, ou qualquer coisa do gênero. Só achei um pouco fraquinho, digamos assim, para o que era esperado.

Continuar lendo “As Aventuras de Tintin”

Miss Simpatia

Depois de um tempo sem postar (desculpem, andei numa correria horrível), volto com uma comédia bem leve. Ontem, sem absolutamente nada pra fazer, e como era domingo não tinha nada passando na televisão, me rendi aos encantos de Sandra Bullock, e toda sua simpatia em versão dublada (só para mostrar que realmente não tinha mais nada para assistir).

Vi, pela quinta vez (acho), Miss Simpatia. É eu sei, esse não é o tipo de filme ao qual dedicamos um post, mas os próximos que virão são sobre o que está por vir e animação (já deu pra notar que eu tenho uma queda por esse tipo de filme). E, como ultimamente eu não consegui assistir nada novo e que de fato seja um filme MUITO bom, vamos de Miss Simpatia.

Continuar lendo “Miss Simpatia”

Orgulho e Preconceito

Não li Orgulho e Preconceito, e quero ver se leio. Normalmente gosto de primeiro ler, e depois assistir. E também acho estranho assistir ao filme sem ler o livro, mas dessa vez foi diferente. E, também foi diferente de Razão e Sensibilidade, que li o livro, e já vi o filme umas 20 vezes, mas isso rende outro post.

Voltando ao filme que deu título a esse post… O filme homônimo do livro de 1813, de Jane Austen, enche os olhos. Apesar de ser muito parecido, na história e até nos nomes de alguns personagens, com Razão e Sensibilidade (primeiro livro da autora, que também ganhou uma adaptação cinematográfica), ele é muito mais belo e, particularmente, muito melhor.

Continuar lendo “Orgulho e Preconceito”

Enrolados

Ta aí um filme que antes de ver eu jurava que era bem mais ou menos. E pra piorar, fiquei com o filme em casa um tempão até me motivar para ver. Quando vi, preciso confessar que adorei, e me surpreendi muito.

Estava esperando um filme bobinho, sem um enredo legal, e até mesmo monótono. Talvez por que eu não seja, e nem nunca fui, muito fã da história da Rapunzel; e isso acabou pesando na hora de criar, ou não, expectativas para o filme da Disney.

Continuar lendo “Enrolados”

Rio

Boa tarde a todos, e que 2012 seja um ano maravilhoso! Vamos retomar as atividades aqui no blog, depois de uma pausa merecida; e, nada melhor do que falar sobre um filme que homenageia o lugar onde estávamos, e do qual eu gosto muito. Rio de Janeiro.

A animação de Carlos Saldanha (Era do Gelo) não me marcou tanto quanto a cidade em si, mas ela mostra um Rio lindo, de encher os olhos. Com um colorido estupendo, e com uma sensibilidade incrível para retratar os mais belos cartões postais da cidade, Carlos Saldanha só deixou a desejar no roteiro, que é um pouco fraquinho.

Continuar lendo “Rio”

Halloween, de John Carpenter

Este é um caso de filme mal compreendido. Isto porque Halloween é um dos melhores filmes de terror já produzido, mas ninguém percebe.

Frequentemente, ao falarmos de filmes de terror, criamos conscientemente (ou inconscientemente) uma subcategoria destes filmes, enquadrada como “terror adolescente“. Este filmes, por sua vez, como aquelas famosas comédias universitárias a la American Pie, retratam uma realidade dos jovens americanos, com o intuito de agradar um público-alvo de idade parecida ao dos personagens do filme. Justamente por essa ideia, levando em conta a pouca credibilidade do público-alvo, filmes deste subgênero frequentemente discorrem sobre uma série de clichês e situações pouco convincentes, com atores baratos/novatos em obras com uma qualidade duvidosa, seja no roteiro ou na execução. Em suma, o fato de um filme ficar enquadrado como “terror adolescente” é quase como depreciar. Alguns casos até acabam virando clássicos com o passar dos anos, como Sexta-Feira 13, principalmente por vilões marcantes, mas a priori, continuam sendo produções duvidosas.

Continuar lendo “Halloween, de John Carpenter”